quinta-feira, 25 de junho de 2015

Uma guerra contra quem?

  Todos anos que presencio a tradicional guerra de espadas, leio nos sites da cidade e/ou ouço os comentários das pessoas sobre ela fico me questionando sobre os sentidos de se manter ou não esta tradição.
  Primeiro, me questiono sobre porque manter qualquer tradição que carregue em si o nome de “guerra”, por se tratar de ato de violência ou que a ela remete, em que há vencedores e vencidos. Segundo, porque as tais guerras de espadas estão proibidas inclusive em cidades cuja tradição é bem maior, como Cruz das Almas, pelo fato de causar muitos ferimentos, que não podem ser classificados como acidentes com fogos, é claro, já que há uma intencionalidade de guerra, um fogo cruzado, literalmente, pelo menos em cidades como lá. Aqui em Ichu também, a cada ano, ouvimos algum caso de que alguém foi queimado pelas espadas, inclusive já presenciei crianças que, assistindo à distância aquele fogo impressionante, foram atingidas e por pouco a tal guerra não cumpriu seu intento: vitimar pessoas inocentes.




   Terceiro, me pergunto sobre quem participa desta guerra em Ichu. De um lado os que tem dinheiro de sobra para queimar (cada espada custa uns míseros R$ 20,00) e de outro os jovens pobres, a maioria negros, da periferia (historicamente da rua Gerson e, nos últimos anos, do Bairro Cortiço) que se arriscam a entrar no fogo cruzado (de fato não há fogo cruzado se esses jovens não tem fogo algum em suas mãos para enfrentar a tal guerra) em busca das prendas da fogueira, que para eles tem muito valor: algo para consumir ou mesmo que tem valor simbólico (vangloriar-se do feito de ter tirado um “prêmio” na fogueira).
   Por último, me incomoda demais a possibilidade desta tradição está sendo bancada pelo poder público, o que certamente não aconteceu somente na atual gestão. Já ouvi comentários de que cada secretaria entra com um valor, uma espécie de vaquinha feita com notas frias, já não há possibilidade de se comprar um produto ilegal com dinheiro público. Ressalto que isso pode não está acontecendo mais, não ouvi nenhum comentário deste ano, mas de outros anos sim, inclusive de outras gestões, comentários feitos por secretários que não concordavam com a prática, mas fazia, já que todas as secretarias iriam colaborar com os fogos.
   Mais indignado fico, ainda, em vê que esses fogos, possivelmente adquiridos com o dinheiro público, são soltados por pessoas de condições, achegados da gestão municipal: correligionários ou militantes políticos, filhos, irmãos, sobrinhos de prefeitos/secretários e até mesmo secretários, pudemos ver nesses anos todos, repito, em todas as gestões que se passaram, nas últimas três décadas. 
   Mesmo que as espadas não sejam direcionadas à fogueira com a intenção de queimar as pessoas, que nela pretendem adquirir algo para consumir, elas soam como o poder público bancando um ato violento contra os jovens da periferia que se expõem a tal perigo, inclusive, esse ano, com rostos encapuzados (proteção) para ainda mais criar o clima de guerra nas fascinantes imagens que aparecem em fotografias e vídeos produzidos no evento e publicadas na internet.



  Enfim, penso que se alguém acha que vale a pena manter uma tradição já proibida em cidades mais badaladas, como Cruz das Almas, e o pior, bancada com dinheiro público, deveríamos, minimamente, defender que esses fogos fossem entregues para esses jovens da periferia que se arriscam a mergulhar no fogo cruzado em busca dos “prêmios” da fogueira, para que essa guerra fosse justa e garantisse à parcela desfavorecida, envolvida no evento, igualdade de condições, de poder e diversão, para participar, havendo assim a real possibilidade de haver “fogo cruzado”. E o dinheiro público pelo menos seria gasto (isso não pode ser chamado de investimento na cultura) com os jovens que mais precisam de oportunidades na cidade.

Por Edivan Carneiro de Almeida

Imagens: AL Notícias

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Alvorada abre o Arraiá do CEACO mais uma vez


Nesta segunda-feira, dia 22 de junho de 2015, aconteceu mais uma alvorada abrindo o tradicional Arraiá do Colégio Estadual Aristides Cedraz de Oliveira.
 
Os participantes se encontraram no centro de abastecimento da cidade às 5 horas da manhã e de lá andaram por algumas ruas e avenidas da cidade de Ichu acordando a população com músicas, bombas e foguetes para fazer a chamada da festa que acontecerá hoje à noite a partir das 20 horas. 


A alvorada contou com a presença dos alunos, que foram caracterizados para a alegria do festejo, alguns ex-alunos e estudantes do Colégio Luiz Júlio que ajudaram a animar o evento, além da direção e alguns professores e funcionários. E para ajudar com a animação o festejo contou também com o carro de som e a locução do estudante Matheus Oliveira que estava fazendo as chamadas para a festa. 

Após andarem pelas ruas os alunos pararam na praça ao lado do Barracão Municipal aonde aconteceu uma quadrilha improvisada narrada pelo estudante do 3º ano Rafael Ronald que contou inclusive coma participação funcionários e professores.

Por Cananda Carneiro
 









sábado, 13 de junho de 2015

CEACO motiva os estudantes a participarem dos Projetos Estruturantes

No dia 20 de maio de 2015, no Colégio Estadual Aristides Cedraz de Oliveira, houve a sensibilização para os projetos estruturantes, com a presença dos professores, da coordenadora pedagógica do Programa de Acompanhamento e Intervenção Pedagógica Geovana (Núcleo Regional de Educação – NRE 4), do diretor João Pedro e de todos os alunos, no pátio da escola.
Os professores apresentaram os Projetos AVE (Artes Visuais Estudantis), FACE (Festival Anual da Canção Estudantil) e o TAL (Tempos de Arte Literária), explicando aos alunos novos como ocorrem e quais os seus objetivos. Com palavra a professora Márcia explicou sobre o Projeto “Meio Ambiente” que vem sendo realizado no Colégio desde 2013, e no ano passado realizou caminhadas com os alunos para conscientizar às pessoas da comunidade a não poluir a natureza. Esse ano o projeto irá desenvolver novas atividades integrando o Projeto Juventude em Ação (JÁ), da Secretaria de Educação da Bahia.



A primeira atividade desse projeto JÁ foi a criação de Comissão de Meio Ambiente “COM-VIDA”, que foi composta por cinco alunos de cada turma para poder desenvolver ações de melhoria do meio ambiente na escola e na comunidade, desenvolvendo uma nova visão.



O diretor João Pedro, responsável pela realização do JERP (Jogos Estudantis da Rede Pública) no Colégio, juntamente com a professora Cirlândia e o funcionário Maxsolivan, explicou que esse projeto procura desenvolver habilidades esportivas entre os alunos que jogam bola. Ele citou que só vai participar do JERP, os alunos disciplinados e que já teve alguns casos em que alunos ficaram de fora por aprontar no Colégio.



Veja o cronograma das atividades dos projetos estruturantes em 2015:

ETAPA ESCOLAR:

- Oficinas do TAL: 25/maio a 17/julho;
- Juventude em Ação: Formação da COM-VIDA: 26 e 27/maio;
- Apresentação da COM-VIDA à comunidade escolar: 03 a 05/junho
- Juventude em Ação: diagnóstico da realidade socioambiental: 08 a 19/junho;
- Oficinas do FACE: 07,08,14 e 15/julho;
- Oficinas do AVE: pintura em tela 18 e 21/julho;
- Seleção dos poemas por turma: 20-29/julho;
- Ensaios- 27/julho a 07/agosto;
- Juventude em Ação: elaboração e apresentação do plano de Ação: 06 a 29/julho;
- Juventude em Ação: desenvolvimento das atividades do plano de Ação: 03/agosto a 30/outubro;
- Atividade do JÁ: 04/agosto (semana do estudante);
- Exposição do AVE e oficinas de Grafite: 05/agosto (semana do estudante);
- JERP (inter-séries): 06 e 07/agosto (semana do estudante);
- Sarau do TAL e festival do FACE: 10/agosto.

ETAPA REGIONAL:

- AVE, FACE e TAL: cursos preparatórios dos estudantes finalistas para as culminâncias, regionais, festivais, saraus e mostras de artes visuais no NRE: 26/agosto a 25/setembro;
- JERP: agosto a outubro;

ETAPA ESTADUAL:

- Encontro Estudantil: todos pela escola: Ciência, Arte, esporte e cultura (etapa estadual): 25 a 27/novembro.

Por Clara Beatriz e Valéria de Oliveira





sexta-feira, 12 de junho de 2015

CEACO e Escolinha realizam amistoso

Aconteceu no dia 09 de junho de 2015 um jogo amistoso entre uma equipe de estudantes do CEACO, do turno vespertino, e uma equipe da Escolinha Mais que Vencedores.


O jogo foi realizado no campo do Auto Posto Ichuense às 16h e compareceu ao local, além dos jogadores, estudantes do CEACO e pessoas da cidade, para prestigiar a partida. A equipe da Escolinha Mais que vencedores jogou com os atletas Isaias (goleiro), Genilson, Robson, Daniel, Júnior, Reilan, Neto, Breno, Delminho, Adriano, Bruno e Marcelo, sob o comando do técnico Marcelo Oliveira. Já a equipe do CEACO entrou em campo com Lucas (goleiro, convidado), Maicon, Ítalo, Bruno do 1º ano; Marlom, Jailson, Henrique, Rodrigo Silva, Aldair e Rodrigo Santos do 2º ano, e Damilson e Geovane do 3º ano.



A partida foi bastante disputada, com algumas chances de gols paras as duas equipes, sendo que o CEACO chegou perto de marcar no início do segundo tempo e a Escolinha Mais que Vencedores jogou melhor no primeiro tempo e no final do segundo tempo quando Daniel marcou o gol da vitória.


Por Alan Cristian Carneiro











Formação da COM-VIDA

No dia 26 de maio de 2015 ocorreu no colégio Estadual Aristides Cedraz de Oliveira, a escolha dos membros da comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida - COM-VIDA, Projeto Juventude em ação (JÁ), sendo composta por trinta estudantes, cinco de cada turma dos turnos matutino e vespertino.


O processo de formação da comissão foi simples, os estudantes que quiseram integrar a comissão propuseram seus nomes e se tivesse a maioria de votos de suas respectivas turmas integrariam a comissão. 
A COM-Vida ficou composta pelos alunos: Harlisson, Renata, Jéssica, Elias e Maicom (1º ano matutino); Lilian, Emerson, Graziele Alana, Valdeline e Luzimare (1º ano vespertino); Eudarda, Laézio Júnior, Gabriela Barbosa, Wesley e Andreissa (2º ano matutino); Nandiala, Iolanda, Adilson e Andressa (2° ano vespertino), Rafaela, Rafael, Jefferson, João Victor e Otávio (3º ano matutino) e Sthefany, Izabel, Aline, Josileide, Wagner e Rebeca (3° ano vespertino).
No dia seguinte, 27 de maio de 2015, uma quarta-feira à tarde, aconteceu a primeira reunião da comissão, que foi coordenada pela professora Márcia Cedraz, com a presença da professora Edilma e da coordenadora Pedagógica do PAIP/NRE - Geovana Márcia. 
 


Os objetivos desta primeira reunião foram: o estudo da cartilha da COM-VIDA e o planejamento do dia Mundial do Meio Ambiente.
A comissão deverá se reunir ordinariamente na segunda semana de cada mês, alternando os dias da semana e será coordenada por dois estudantes, sendo um do turno matutino e outro do vespertino e terá dois relatores, também com estudantes dos dois turnos. 
A COM-VIDA tem como objetivo oferecer aos jovens oportunidade para o empreendedorismo e participação ativa na comunidade, especialmente desenvolvendo ações para melhorar o meio ambiente em que vivemos. Para isso, deverá elaborar um Plano de Ação, em observância ao cronograma do Projeto JÁ - Juventude em Ação.


Por Laerte Jesus, Emerson do Nascimento, 
Wheberton Gonçalves e Erilma Clécia.

1º ano matutino
 Harlisson, Renata, Jéssica, Elias e Maicom

2º ano matutino
Eudarda, Laézio Júnior, Gabriela Barbosa, Wesley e Andreissa

3º ano matutino


Rafaela, Rafael, Jefferson, João Victor e Otávio



2º ano vespertino
Henrique, Adilson, Iolanda, Andressa, Nandiala

3º ano vespertino
Rebeca, Izabel e Aline


quarta-feira, 10 de junho de 2015

CEACO faz mudança no cardápio da merenda escolar

No dia 25 de maio de 2015, começou a distribuição da merenda depois de vários dias após o início do ano letivo.
A escola fez um estudo para criar um novo cardápio devido ao baixo valor que recebe por aluno/dia (R$ 0,30) para a merenda escolar.




Foram retirados alguns pratos, tais como: arroz com frango e pão com suco. A novidade é o caldo de aipim, que já foi aprovado por grande parte dos estudantes.



Veja como ficou o nosso novo cardápio:

Segunda-feira: Suco com biscoito

Terça-feira: Caldo de aipim


Quarta-feira: Mugunzá/Mingau de tapioca


Quinta-feira: Sopa


Sexta-feira: Arroz doce/Mingau de milho.





Por Manuela Lima e Andressa Marques